Olhe para qualquer droga neste blog

Carregando...

REAÇÕES ADVERSAS CLOMID

Efeitos colaterais parecem ser dose- dependentes, ocorrendo mais frequentemente em altas doses e em tratamento prolongados. As reações adversas mais frequentemente relatadas são (em ordem decrescente de incidência1): Aumento de volume do ovário2: na posologia recomendada, um aumento anormal é pouco frequente (incidência1 de 13,6%). Pode ocorrer dor abdominal na época da ovulação3. Foram registrados, entretanto, raros casos de aumento maciço do ovário2, por exemplo, uma paciente com síndrome4 de ovário2 policístico cuja terapia com citrato de clomifeno consistiu de 100 mg/dia/14 dias. O aumento ovariano geralmente regride espontaneamente e a maioria das pacientes nessas condições devem ser tratadas cautelosamente.
"Flushes" vasomotores ou "fogachos": (incidência1 de 10,4%) semelhantes aos da menopausa5, raramente graves e desaparecem rapidamente com a interrupção do tratamento.
Desconforto pélvico - abdominal: aumento de volume abdominal, plenitude (5,5%), geralmente relacionadas com o aumento ovariano ou fenômenos ovulatórios ou pré-menstruais.
Também são descritos:
Sintomas6 visuais: descritos como "turvação" visual, manchas ou fosfenas (escotomas cintilantes) são relatados com incidência1 relacionada a aumento da posologia e geralmente desaparecem em dias ou semanas após a interrupção do tratamento. Existem raros relatos de catarata7.
Alterações cutâneas: há relatos de dermatite8 e "rash9" cutâneo associado a condições de reação alérgica10, eritema multiforme11, equimose12 e edema angioneurótico13. Alopécia14 tem sido relatada raramente.
Sintomas6 neurológicos: tontura15, vertigem16, nervosismo, insônia, depressão e astenia17 têm sido relatados raramente. Há relatos de outras condições como síncopes18/desmaios, acidente vascular cerebral19, trombose20 cerebral, reações psicóticas incluindo psicose21 paranóica, distúrbios neurológicos, desorientação e distúrbios da fala.
Disfunção hepática: a retenção de bromosulfaleína foi superior a 5% em 32 de 141 pacientes avaliadas, incluindo 5 de 43 que tomaram aproximadamente a dose de CLOMID atualmente recomendada. A retenção foi em geral mínima, a não ser quando associada à administração contínua prolongada ou com hepatopatia aparentemente não relacionada a droga.
Outros testes de função hepática foram, em geral, normais. Em um estudo posterior, no qual se administrou CLOMID por 6 ciclos consecutivos (50 ou 100 mg/dia durante 3 dias) ou placebo, foram realizados exames de retenção de bromosulfaleína em 94 pacientes. Destes, 11 tiveram retenção elevada em 5%, 6 dos quais haviam tomado droga e 5 placebo.
Neoplasias: relatos isolados da ocorrência de neoplasias endócrino- dependentes ou de seu agravamento (miomas, tumores hipofisários e de mamas).
Outros sintomas6, também descritos, embora em incidência1 inferior a 3,5%, são: náuseas22, mal estar gástrico, poliúria23, metrorragia24 funcional, aumento de peso, hipersensibilidade mamária e disúria25.



Bula completa CLOMID

Nenhum comentário:

Postar um comentário