Olhe para qualquer droga neste blog

Carregando...

VERTIGIUM

VERTIGIUM

Dicloridrato de flunarizina


FORMA FARMACÊUTICA E APRESENTAÇÃO - VERTIGIUM
Comprimidos10 mg: embalagem contendo 50 comprimidos.
USO ADULTO


COMPOSIÇÃO - VERTIGIUM

Cada comprimido contém:
dicloridrato de flunarizina ....................equivalente a10 mg de flunarizina
excipientes q.s.p ....................1 comprimido
(lactose, amido de milho, hidroxipropilmetilcelulose, polissorbato 20, celulose microcristalina, croscarmelose sódica, dióxido de silício e estearato de magnésio).


INFORMAÇÕES AO PACIENTE - VERTIGIUM
Vertigium atua como vasodilatador periférico e cerebral e, antivertiginoso.Conservar em temperatura ambiente (15 a 30 C). Proteger da luz e umidade.
Prazo de Validade: VIDE CARTUCHO. Não use medicamento com o prazo de validade vencido.
"Informe seu médico a ocorrência de gravidez1 na vigência do tratamento ou após o seu término".
"Informe seu médico se está amamentando".
"Siga a orientação do seu médico respeitando os horários, as doses e a duração do tratamento".
"Não interromper o tratamento sem o conhecimento do seu médico".
"Informe seu médico a ocorrência de reações desagradáveis, tais como: sonolência e sensação de cansaço que desaparecem com o decorrer do tratamento. Excepcionalmente, o cansaço pode aumentar e, nesse caso, é conveniente levar ao conhecimento do seu médico".

"TODO MEDICAMENTO DEVE SER MANTIDO FORA DO ALCANCE DAS CRIANÇAS".

Vertigium pode potencializar os efeitos do álcool e dos depressores do SNC, especialmente no início do tratamento. Não há contra- indicação ao seu uso concomitante com betabloqueadores.
Vertigium é contra- indicado em casos depressões e antecedentes de sintomas2 extrapiramidais ou parkinsonismo.
"Informe seu médico sobre qualquer outro medicamento que esteja usando antes do início ou durante o tratamento".

"ESTE MEDICAMENTO INDUZ SONOLÊNCIA, NÃO DEVENDO SER UTILIZADO POR CONDUTORES DE
VEÍCULOS, OPERADORES DE MÁQUINAS OU AQUELES DE CUJA ATENÇÃO DEPENDA A SEGURANÇA DE OUTRAS PESSOAS".

"NÃO TOME MEDICAMENTO SEM O CONHECIMENTO DO SEU MÉDICO, PODE SER PERIGOSO PARA SUA SAÚDE".


INFORMAÇÕES TÉCNICAS - VERTIGIUM

Vertigium deprime a irritabilidade do aparelho vestibular e reduz os sintomas2 decorrentes dos distúrbios vasculares cerebrais e periféricos. Essas propriedades estão ligadas à ação da flunarizina, bloqueando a entrada de íons cálcio para o interior das células sensoriais do ouvido interno, das células musculares lisas das arteríolas e dos eritrócitos3, sem interferir com os canais lentos de cálcio do coração4. Vertigium tem uma ação prolongada, podendo ser administrado somente uma vez ao dia.


INDICAÇÕES - VERTIGIUM
Vertigium comprimidos é usado para profilaxia da enxaqueca5 clássica (com aura) ou comum (sem aura). Tratamento sintomático dos distúrbios do equilíbrio causados por alterações funcionais do sistema vestibular.


CONTRA-INDICAÇÕES - VERTIGIUM

VERTIGIUM É CONTRA- INDICADO EM CASOS DE DEPRESSÃO OU ANTECEDENTE DE SINTOMAS2
EXTRAPIRAMIDAIS OU PARKINSONISMO. *GRAVIDEZ1 E LACTAÇÃO6; FASE AGUDA DE ACIDENTE VASCULAR CEREBRAL7; CARDIOPATIAS DESCOMPENSADAS; INSUFICIÊNCIA HEPÁTICA8 OU RENAL9; DOENÇAS INFECCIOSAS GRAVES.


PRECAUÇÕES - VERTIGIUM
Em raros casos, a fadiga pode aumentar progressivamente no decorrer do tratamento. Neste caso, o tratamento deve ser interrompido. A dose recomendada não deve ser ultrapassada. Os pacientes devem ser vistos a intervalos regulares, especialmente durante o tratamento de manutenção. Assim, os sintomas2 depressivos extrapiramidais podem ser detectados precocemente e, neste caso, o tratamento interrompido. Se durante o tratamento de manutenção os efeitos terapêuticos diminuírem, o tratamento deve ser interrompido.


INTERAÇÕES MEDICAMENTOSAS - VERTIGIUM

Vertigium pode potencializar os efeitos do álcool e dos depressores do SNC, especialmente no início do tratamento. Não há contra- indicação ao seu uso juntamente com betabloqueadores.


REAÇÕES ADVERSAS - VERTIGIUM
As reações mais freqüentes são sonolência e fadiga (20%), geralmente transitórias, e ganho de peso e/ou aumento do apetite (11%). As seguintes reações adversas podem ser observadas durante o tratamento a longo prazo: depressão, com risco mais importante em mulheres com antecedentes depressivos; sintomas2 extrapiramidais (bradicinesia, rigidez, acatisia, discinesia orofacial, tremor), com risco mais importante no idoso. Outras reações adversas menos freqüentes são:
Gastrintestinais: pirose, náuseas10, dor abdominal;
Sistema Nervoso11 Central (SNC): insônia, ansiedade;
Outras: galactorréia12, boca seca, dores musculares e eritema13 cutâneo.
Este tratamento pode provocar sintomas2 depressivos ou extrapiramidais e revelar parkinsonismo, especialmente em pacientes predispostos, como os pacientes idosos. Assim, Vertigium deve ser prescrito com cuidado a tais pacientes.

"ESTE MEDICAMENTO INDUZ SONOLÊNCIA, NÃO PODENDO SER UTILIZADO POR CONDUTORES DE
VEÍCULOS, OPERADORES DE MÁQUINAS OU AQUELES DE CUJA ATENÇÃO DEPENDA A SEGURANÇA DE OUTRAS PESSOAS".


ALTERAÇÕES EM EXAMES CLÍNICOS E LABORATORIAIS - VERTIGIUM

Até o momento não foram relatadas alterações em exames clínicos e laboratoriais. Porém, recomenda- se informar ao laboratório clínico o uso de Vertigium.


POSOLOGIA - VERTIGIUM
Profilaxia da enxaqueca5:
Tratamento inicial: Iniciar o tratamento com 1 comprimido de 10 mg/dia ao deitar, para pacientes com menos de 60 anos, e com 1/2 comprimido (5 mg) para pacientes com mais de 60 anos de idade. Se, durante o tratamento, sintomas2 depressivos, extrapiramidais ou outras reações adversas ocorrerem, o tratamento deve ser interrompido. Se após 2 meses de tratamento não se observar melhora significativa, o tratamento também deverá ser interrompido.
Tratamento de manutenção: Se o paciente responder satisfatoriamente e um tratamento de manutenção for necessário, a dose deve ser reduzida da seguinte forma: o paciente tomará a mesma dose diária durante 5 dias por semana e fará um intervalo durante 2 dias seguidos, sem tomar o medicamento. Mesmo que o tratamento profilático de manutenção tenha sido eficaz e bem tolerado, deve ser interrompido após 6 meses e reiniciado somente se houver recaída.
Tratamento da vertigem14: A dose será a mesma do tratamento da enxaqueca5, mas a dose do tratamento inicial deve ser reduzida assim que os sintomas2 forem controlados, o que, em geral, ocorre em menos de 2 meses. Se, no entanto, nenhuma melhora significativa for observada após 1 mês de tratamento da vertigem14 crônica, ou 2 meses de tratamento da vertigem14 paroxística, a terapêutica deve ser interrompida.


SUPERDOSE - VERTIGIUM

Com base nas propriedades farmacológicas do medicamento, sedação e astenia15 podem ocorrer. Poucos casos de superdose aguda (mais de 600mg em uma só tomada) foram relatados e os sintomas2 observados foram: sedação, agitação e taquicardia16. Como não há antídoto17 específico, o tratamento da superdose consiste em medidas de suporte como lavagem gástrica18, indução do vômito19 com xarope de Ipeca e/ou administração de carvão ativado.


PACIENTES IDOSOS - VERTIGIUM

Nenhum comentário:

Postar um comentário