Olhe para qualquer droga neste blog

Carregando...

CEFAZOLINA

CEFAZOLINA


1 g


pó para solução injetável


uso intravenoso ou intramuscular




APRESENTAÇÃO/COMPOSIÇÃO - CEFAZOLINA

CEFAZOLINA 1g pó para solução injetável é apresentado em embalagem com 25 frascos- ampola. Cada frasco-ampola contém cefazolina sódica equivalente à 1g de cefazolina.

USO ADULTO E PEDIÁTRICO




INFORMAÇÕES AO PACIENTE - CEFAZOLINA

A conservação do produto antes da reconstituição deve ser feita em temperatura ambiente (entre 20 e 30º C). Após a reconstituição, a solução é estável por 72 horas à temperatura ambiente.

Prazo de validade : vide cartucho. Este medicamento não deverá ser utilizado caso o prazo de validade do produto esteja vencido.

Informar sempre o médico a ocorrência de gravidez1, antes ou durante a vigência do tratamento.
A dose utilizada deverá ser sempre orientada pelo médico. Qualquer modificação da dose ou interrupção do tratamento somente deverá ser feita com orientação médica.

Informar sempre o médico caso ocorram reações adversas durante o tratamento, tais como náuseas2, vômitos3, diarréia4 e erupções de pele.

Assim como com os demais antibióticos, é desaconselhável a administração concomitante com bebida alcoólica.

CEFAZOLINA é contra- indicada para pacientes hipersensíveis às cefalosporinas ou a algum componente da formulação.

TODO MEDICAMENTO DEVE SER MANTIDO FORA DO ALCANCE DAS CRIANÇAS.

NÃO TOME REMÉDIO SEM O CONHECIMENTO DO SEU MÉDICO. PODE SER PERIGOSO PARA SUA SAÚDE.



INFORMAÇÕES TÉCNICAS - CEFAZOLINA

DESCRIÇÃO

CEFAZOLINA (cefazolina sódica) é uma cefalosporina semi- sintética de uso parenteral. CEFAZOLINA contém 48,3 mg de sódio por grama5 de cefazolina sódica.


FARMACOLOGIA CLÍNICA - CEFAZOLINA

Intramuscular: as concentrações séricas médias atingidas em intervalos específicos após administração intramuscular de cefazolina sódica estão apresentados na tabela a seguir:

CONCENTRAÇÃO SÉRICA (ìg/ml) APÓS ADMINISTRAÇÃO INTRAMUSCULAR

Dose ½ h 1 h 2 h 4 h 6 h 8 h 10 h
250mg 15,5 17 13 5,1 2,5
500mg 36,2 36,8 37,9 15,5 6,3 3
1g* 60,1 63,8 54,3 29,3 13,2 7,1 4,1

* Média de dois estudos
Intravenosa : as concentrações séricas médias após injeção6 intravenosa de uma dose única de 1g de cefazolina sódica estão apresentados na tabela abaixo :

CONCENTRAÇÃO SÉRICA (ìg/mL) APÓS DOSE INTRAVENOSA DE 1 g

5 min 15 min 30 min 1h 2h 4h Pico Meia- vida (h)
188,4 135,8 106,8 73,7 45,6 16,5 190,0 1,4

Voluntários normais que receberam uma infusão intravenosa constante de cefazolina a doses de 3,5 mg/Kg por 1 hora (aproximadamente 250 mg) e 1,5 mg/Kg nas 2 horas seguintes (aproximadamente 100 mg) alcançaram nível sérico de equilíbrio de aproximadamente 28 ìg/mL na terceira hora da infusão.
Estudos de farmacologia clínica em pacientes com infecção7, hospitalizados, indicam que a cefazolina produz picos séricos médios aproximadamente equivalentes a aqueles observados em voluntários normais.
A cefazolina é excretada de forma inalterada na urina8. Após administração intramuscular de 500 mg de cefazolina, 63±17% da dose foi recuperada em 6 horas e aproximadamente 80% a 100% em 24 horas. Picos de concentração na urina8 de aproximadamente 1.000 ìg/mL e 4.000 ìg/mL são obtidos após administração intramuscular de doses de 500 mg e 1 g, respectivamente.
Concentrações elevadas de cefazolina, bem acima dos níveis séricos, são encontradas na vesícula biliar9 e na bile10 de pacientes com trato biliar não obstruído. Quando a cefazolina é administrada para pacientes com o trato biliar obstruído, as concentrações séricas são consideravelmente maiores do que na bile10.
A concentração de cefazolina no espaço articular quando a membrana sinovial está inflamada é comparável à concentração encontrada no soro11, devido à facilidade com que o antibiótico atravessa a membrana inflamada.

Diálise Peritoneal12: níveis séricos médios de cerca de 10 a 30 ìg/ml foram observados em pacientes passando por diálise peritoneal12 (2 L/hora) após instilação por 24 horas de uma solução dializante contendo 50 mg/L e 150 mg/L de cefazolina, respectivamente. Os picos médios foram de 29 ìg/mL (faixa de 13 a 44 ìg/mL) e 72 ìg/mL (faixa de 26 a 142 ìg/mL), respectivamente. A administração de cefazolina é geralmente bem tolerada.

Voluntários normais adultos que receberam 1 g de CEFAZOLINA quatro vezes ao dia por 10 dias, em estudos controlados, não demonstraram alterações clinicamente significativas que possam ser atribuídas à cefazolina com relação ao hemograma, TGO, TGP, bilirrubina13, fosfatase alcalina, nitrogênio uréico sérico, creatinina14 e exame de urina15 tipo I.



MICROBIOLOGIA - CEFAZOLINA

A ação bactericida das cefalosporinas resulta da inibição da síntese da parede celular. CEFAZOLINA é ativo contra os seguintes microorganismos in vitro e infecções clínicas:

Staphylococcus aureus ( sensíveis e resistentes a penicilina)Staphylococcus epidermidis
estafilococos meticilina- resistentes são resistentes à CEFAZOLINA.
estreptococos beta- hemolíticos do grupo A e outras cepas de estreptococos ( muitas cepas de enterococos são resistentes)
Streptococcus pneumoniae (anteriormente Diplococcus pneumoniae)
Escherichia coli
Proteus mirabilis
Klebsiella species
Enterobacter aerogenes
Haemophilus influenzae

A maioria das cepas de Enterobacter cloacae e Proteus indol- positivos (P. vulgaris), Morganella morganii (anteriormente Proteus morganii), Providencia rettgeri (anteriormente Proteus retggeri) são resistentes. Serratia, Pseudomonas, Acinetobacter calcoaceticus (anteriormente Mima e Herellea species) são geralmente resistentes à cefazolina.


Teste de Sensibilidade em Disco - CEFAZOLINA

Métodos quantitativos que utilizam a medida do diâmetro da zona fornecem a estimativa mais precisa da sensibilidade ao antibiótico. Um método com discos em particular tem sido recomendado para se determinar a sensibilidade aos antibióticos cefalosporínicos. Os resultados deste procedimento são interpretados pela correlação do diâmetro do disco com os valores de concentração inibitória mínima (CIM) para a CEFAZOLINA. Neste método, um relato laboratorial de '' sensível'' indica que o organismo infectante possivelmente responde à terapia. Um relato de ''resistente'' sugere que o organismo infectante possivelmente não responde à terapia. Um relato de ''sensibilidade intermediária'' sugere que o organismo poderá ser sensível caso sejam usadas altas dosagens ou caso a infecção7 esteja confinada a tecidos e fluidos (p. ex., urina8) nos quais se atinge altos níveis de antibióticos.



INDICAÇÕES - CEFAZOLINA

CEFAZOLINA (cefazolina sódica) está indicada no tratamento das seguintes infecções causadas por organismos sensíveis:

Infecções do trato respiratório : Streptococcus pneumoniae (anteriormente Diplococcus pneumoniae), Klebsiella species, Haemophilius influenzae, Staphylococcus aureus (sensíveis e resistentes à penicilina) e estreptococos beta- hemolíticos do grupo A.

A penicilina G benzatina injetável é considerada a droga de escolha no tratamento e prevenção de infecções por estreptococos, incluindo profilaxia da febre reumática16.

CEFAZOLINA é eficaz na erradicação de estreptococos da nasofaringe; entretanto, dados estabelecendo sua eficácia na prevenção da febre reumática16 não estão disponíveis até o momento.

Infecções do trato urinário : Escherichia coli, Proteus mirabilis, Klebsiella species, algumas cepas de Enterobacter e enterococos.

Infecções da pele e estruturas cutâneas : Staphylococcus aureus (sensíveis e resistentes à penicilina), estreptococos beta- hemolíticos do grupo A e outras cepas de estreptococos.

Infeccções do trato biliar : Escherichia coli, várias cepas de estreptococos, Proteus mirabilis, Klebsiella species, e Staphylococcus aureus.

Infecções ósseas e das articulações : Staphylococcus aureus.

Infecções genitais (p. ex., prostatite17, epididimite) : Escherichia coli, Proteus mirabilis, Klebsiella species e algumas cepas de enterococos.

Septicemia : Streptococcus pneumoniae (anteriormente Diplococcus pneumoniae) Staphylococcus aureus (sensíveis e resistentes à penicilina), Proteus mirabillis, Escherichia coli, Klebsiella species.

Endocardite18 : Staphylococcus aureus (sensíveis e resistentes à penicilina) e estreptococos beta- hemolitico do grupo A.

Devem ser realizadas culturas apropriadas e estudos de sensibilidade para se determinar a sensibilidade do organismo causador à CEFAZOLINA.Profilaxia Perioperatória
A administração profilática de CEFAZOLINA no pré- operatório, intra-operatório, e pós-operatório pode reduzir a incidência19 de certas infecções pos-operatórias em pacientes sob procedimentos cirúrgicos classificados como contaminados ou potencialmente contaminados como, por exemplo, histerectomia20 vaginal e colecistectomia em pacientes de alto risco tais como aqueles acima de 70 anos de idade com colecistite21 aguda, icterícia22 obstrutiva ou cálculos do ducto biliar comum.
O uso pós- operatório de CEFAZOLINA também pode ser eficaz em pacientes de cirurgias nos quais a infecção7 no local da operação apresente um risco grave, por exemplo, durante cirurgia cardíaca a céu aberto e artroplastia prostética.
A administração profilática de CEFAZOLINA deve ser descontinuada em 24 horas após o procedimento cirúrgico. Em cirurgias onde a ocorrência de infecção7 possa ser particularmente perigosa, p. ex., cirurgia cardíaca a céu aberto e artroplastia prostética, a administração profilática de CEFAZOLINA pode continuar por 3 a 5 dias após a cirurgia. Caso ocorra sinais23 de infecção7, deve- se obter material para cultura para a identificação do organismo causador, de modo que seja instituída a terapia apropriada (ver POSOLOGIA).

NOTA : Caso os testes de sensibilidade mostrem que o organismo causador é resistente à CEFAZOLINA, outra terapia deve ser instituída.




CONTRA-INDICAÇÕES - CEFAZOLINA

CEFAZOLINA é contra- indicada em indivíduos com hipersensibilidade às cefalosporinas ou a algum componente da formulação.




ADVERTÊNCIAS / PRECAUÇÕES - CEFAZOLINA

Em pacientes alérgicos à penicilina, as cefalosporinas devem ser usadas com grande cautela. Há há evidências clínicas de alergenicidade cruzada parcial entre penicilinas e cefalosporinas, e exemplos de pacientes que tiveram reações alérgicas a ambas as drogas (incluindo anafilaxia24 fatal após uso parenteral). Reações anafiláticas25 graves necessitam de tratamento de emergência imediato.Qualquer paciente que tenha demonstrado alguma forma de alergia26, em particular a drogas, deve tomar antibióticos com cautela e somente quando absolutamente necessário.
Relata- se colite27 pseudomembranosa com quase todos os agentes antibacterianos, que pode variar de leve a risco de vida. Portanto, é importante considerar este diagnóstico28 em pacientes que apresentem diarréia4 após a administração de agentes anti-bacterianos. Após o diagnóstico28 de colite27 ter sido estabelecido, medidas terapêuticas devem ser iniciadas.

A administração intratecal de CEFAZOLINA não é recomendada. Há relatos de toxicidade do sistema nervoso29 central, incluindo convulsões quando a cefazolina foi administrada por esta via.
Em pacientes com disfunção renal30, uma dose reduzida pode ser apropriada (ver POSOLOGIA).
O uso prolongado de CEFAZOLINA pode resultar em um supercrescimento de organismos não sensíveis. Caso ocorra superinfecção31 durante a terapia, devem ser tomadas medidas apropriadas.
Antibióticos de amplo espectro devem ser prescritos com cautela em indivíduos com história de doença gastrintestinal, particularmente colite27.

Interações droga/Testes Laboratoriais

A probenicida pode diminuir a secreção tubular renal30 das cefalosporinas quando usadas concomitantemente, resultando níveis sanguíneos de cefalosporinas aumentados e mais prolongados.
Podem ocorrer reações falso- positivas para glicose32 na urina8 caso sejam usados metodos de redução de cobre. Portanto, recomenda-se que seja usado testes de glicose32 baseados nas reações enzimáticas de glicose32 oxidase.
A administração concomitante de cefalosporinas e aminoglicosídeos tem sido associada ao aumento da nefrotoxicidade.
Podem ocorrer resultados positivos de testes diretos e indiretos de antiglobulina (Coombs); estes podem ocorrer em recém- nascidos cujas mães receberam cefalosporinas antes do parto.

Carcinogênese/Mutagênese

Não foram realizados estudos de mutagenicidade e estudos prolongados em animais para se determinar o potencial carcinogênico da cefazolina.

Gravidez1

A segurança desta droga quanto ao seu uso durante a gravidez1 não foi estabelecido. Não foram conduzidos estudos adequados e bem controlados durante a gravidez1. A cefazolina demonstrou atravessar facilmente barreira placentária pelo cordão umbilical e líquido amniótico. Os níveis de droga no cordão umbilical de mães que receberam cefazolina antes da cesariana foram de aproximadamente ¼ a _ dos níveis da droga na mãe. A droga parece não ter efeito adverso sobre o feto.
Não se observou evidências de comprometimento da fertilidade ou dano para o feto devido à cefazolina nos estudo de reprodução realizados com ratos, camundongos e coelhos com doses de 25 vezes a dose humana. Como os estudos de reprodução animal não são sempre predizentes da resposta humana, esta droga deve ser usada durante a gravidez1 somente se nitidamente necessário.
Lactação33

A cefazolina está presente em concentrações muito baixas no leite materno de mulheres recebendo esta droga. CEFAZOLINA deve ser administrada com cautela durante a lactação33.

Uso Pediátrico

A segurança e eficácia para o uso em recém- nascidos prematuros e abaixo de um mês não foram estabelecidas. Ver POSOLOGIA sobre dosagem recomendada para crianças acima de um mês.




REAÇÕES / EVENTOS ADVERSOS - CEFAZOLINA

Hipersensibilidade : como com todas as outras cefalosporinas, CEFAZOLINA tem potencial para produzir reações de hipersensibilidade. Observa- se reações de hipersensibilidade, incluindo eosinofilia, febre34 medicamentosa, erupção cutânea, prurido35, urticária36, angiedema e anafilaxia24.

Hematológicas : tem ocorrido leucopenia37, neutropenia38, trombocitopenia39, trombocitemia e testes de Coombs diretos e indiretos positivos.

Hepáticas : elevações transitórias nos níveis de TGO, TGP e fosfatase alcalina foram raramente observados. Foram relatados, de forma rara, hepatite40 transitória e icterícia22 colestática.

Renais : elevação transitória dos níveis de nitrogênio uréico sérico foram observados, sem evidências clínicas de comprometimento renal30. Nefrite41 intersticial e outros distúrbios renais foram raramente relatados. A maioria dos pacientes passando por estas reações estavam seriamente doentes e recebendo terapias com múltiplas drogas. O papel da cefazolina no desenvolvimento de nefropatias não foi determinado.

Gastrintestinais : sintomas42 de colite27 pseudomembranosa podem aparecer durante ou após a antibioticoterapia. Náuseas2 e vômitos3 têm sido raramente relatados. Foram relatados anorexia43, diarréia4, e candidíase44 oral (estomatite45 oral).

Outros : dor no local da injeção intramuscular46 ocorrem de forma não freqüente, ocasionalmente com insensibilidade ou endurecimento. CEFAZOLINA é bem tolerada quando administrada por infusão intravenosa e a incidência19 de flebite47 é baixa.

Outras reações incluem prurido35 genital e anal, candidíase44 genital e vaginite48.


POSOLOGIA - CEFAZOLINA

O tratamento deve ser continuado por um mínimo de 48 a 72 horas após o paciente tornar- se assintomático ou até que sejam obtidas evidências da erradicação bacteriana. Recomenda-se um mínimo de 10 dias de tratamento para qualquer infecção7 causada por estreptococos beta-hemolíticos do grupo A.A via de administração de preferência é a intravenosa por infusão, em particular quando forem administradas altas doses.

Adultos: As seguintes doses são recomendadas para administração de CEFAZOLINA reconstituída, de preferência por infusão intravenosa, injeção6 intravenosa lenta (3 a 5 minutos) ou por injeção intramuscular46:


ADULTOS

TIPO DE INFECÇÃO7 DOSE FREQUÊNCIA
Infecções leves causadas por cocos Gram positivos sensíveis 250mg a 500mg cada 8 horas
Pneumonia49 pneumocócica 500mg cada 12 horas
Infecções agudas não complicadas do trato urinário 1 g cada 12 horas
Infecções moderadas a severas 500mg a 1 g cada 6 a 8 horas
Infecções severas, com risco de vida (p.ex. endocardite18, septicemia)* 1g a 1,5 g cada 6 horas
* em casos raros, doses de até 12 gramas de CEFAZOLINA por dia foram usadas.

Dose Pediátrica

Em crianças e naqueles pacientes pesando menos que 40 Kg, 25 a 50mg/Kg/dia de CEFAZOLINA administrados em três ou quatro doses igualmente divididas, é eficaz para a maioria das infecções leves a moderadas. Para infecções graves e de risco de vida, a dose total diária pode ser aumentada para 100mg/Kg de peso corporal. Uma vez que a segurança para o uso em recém- nascidos prematuros e abaixo de um mês de idade ainda não foi estabelecido, o uso de CEFAZOLINA nestes pacientes não é recomendado.
GUIA DE DOSAGEM PEDIÁTRICO

PESO (Kg) 25 mg /Kg/dia 50 mg /Kg/dia
DIVIDIDOS EM 3 DOSES (mg/ 8h) (mL DE 125mg/mL) DIVIDIDOS EM 4 DOSES (mg/ 6 h) (mL DE 125mg/mL) DIVIDIDOS EM 3 DOSES (mg/ 8 h) (mL DE 225mg/mL) DIVIDIDOS EM 4 DOSES (mg/ 6h) (mL DE 225 mg/mL)
5,0 41,7 0,33 31,3 0,25 83,3 0,37 62,5 0,28
10,0 83,3 0,67 62,5 0,5 166,7 0,74 125,0 0,56
15,0 125,0 1,0 93,8 0,75 250,0 1,1 187,5 0,83
20,0 166,7 1,33 125 1,0 333,3 1,48 250,0 1,11
25,0 208,3 1,67 156,3 1,25 416,7 1,85 312,5 1,39
30,0 250,0 2,0 187.5 1,50 500,0 2,22 375,0 1,67
35,0 291,7 2,33 218,8 1,75 583,3 2,59 437,5 1,94


Insuficiência Renal50
Todas as recomendações para redução de dosagem são aplicáveis após uma dose inicial de ataque apropriada para a gravidade da infecção7. Pacientes em diálise peritoneal12 : ver FARMACOLOGIA CLÍNICA.

Adultos


AJUSTES DE DOSAGEM PARA ADULTOS COM FUNÇÃO RENAL30 REDUZIDA

Clearance de creatinina14 mL/min Creatinina14 sérica mg/dL51 Ajuste de dosagem
? 55 ? 1,5 doses completas
35 a 54 1,6 a 3,0 doses completas, porém com intervalo de dose de pelo menos 8 horas.
11 a 34 3,1 a 4,5 metade da dose usual a cada 12 horas
? 10 ? 4,6 metade da dose usual a cada 18 a 24 horas


Crianças

AJUSTE DE DOSAGEM PARA CRIANÇAS COM FUNÇÃO RENAL30 REDUZIDA

Clearance de Creatinina14 (mL/min) Ajuste de dosagem
70 a 40 60% da dose diária normal em doses igualmente divididas a cada 12 horas
40 a 20 25% da dose diária normal em doses igualmente divididas a cada 12 horas
20 a 5 10% da dose diária normal em doses igualmente divididas a cada 24 horas


Uso profilático peri- operatório

As doses recomendadas para prevenir infecção7 pós- operatória em cirurgias contaminadas ou potencialmente contaminadas são as seguintes :

a. 1 g IV ou IM administrado 30 minutos a 1 hora antes do início da cirurgia.

b. Para procedimentos operatórios prolongados (p.ex., 2 horas ou mais), uma dose adicional de 0,5 a 1g IV ou IM durante a cirurgia (a administração se modifica de acordo com a duração do procedimento cirúrgico).

c. 0,5 a 1 g IV ou IM cada 6 a 8 horas por 24 horas após a cirurgia.

É importante que : (1) a dose pré- operatória seja administrada somente antes do início da cirurgia, de modo que no momento da incisão inicial da cirurgia, níveis adequados de antibióticos estejam presentes no soro11 e nos tecidos e (2) CEFAZOLINA seja administrada, se necessário, em intervalos apropriados durante a cirurgia de maneira a fornecer níveis suficientes de antibiótico previamente a maior exposição aos organismos causadores de infecções.

Em cirurgias onde a ocorrência de infecção7 é particularmente perigosa (p. ex., cirurgia cardíaca a céu aberto e artroplastia prostética), a administração profilática de CEFAZOLINA pode continuar por 3 a 5 dias após o término da cirurgia.




RECONSTITUIÇÃO - CEFAZOLINA

Administração Intramuscular

Reconstituir CEFAZOLINA com água estéril para injeção6, água bacteriostática, ou soro11 fisiológico 0,9%, de acordo com a tabela a seguir. O frasco- ampola de 1g deve ser reconstituído somente em água estéril para injeção6 ou água bacteriostática para injeção6.


TABELA DE DILUIÇÕES

TAMANHO DO FRASCO DILUENTE A SER ADICIONADO VOLUME DISPONÍVEL APROXIMADO CONCENTRAÇÃO MÉDIA APROXIMADA
250 mg 2 ml 2 ml 125 mg/ml
500 mg 2 ml 2,2 ml 225 mg/ml
1 g 2,5 ml 3,0 ml 330 mg/ml

Agitar bem até a dissolução. CEFAZOLINA deve ser injetado em uma área de grande massa muscular.

Administração Intravenosa
CEFAZOLINA pode ser administrado por injeção6 intravenosa direta ou por infusão contínua ou intermitente. As doses totais diárias são as mesmas que para as injeções intramusculares.

Injeção6 Intravenosa Direta
CEFAZOLINA 1g após reconstituição em água para injeção6 é diluída em um mínimo de 10ml do mesmo diluente. Injetar a solução lentamente por 3 a 5 minutos. A solução pode ser administrada diretamente na veia ou através de um equipo em pacientes recebendo os líquidos parenterais mencionados abaixo.

Infusão Intravenosa Intermitente
CEFAZOLINA pode ser administrada em conjunto com os programas de conduta para líquidos intravenosos primários em um grupo de controle de volume ou em um recipiente intravenoso secundário separado.
CEFAZOLINA 1g após reconstituição com água para injeção6 de acordo com a tabela de diluição anterior, pode ser diluído em 50 a 100ml de uma das seguintes soluções intravenosas:

Soro11 fisiológico 0,9%;
Solução de glicose32 5% ou 10%;
Glicose32 5% em solução de Ringer Lactato;
Glicose32 5% em soro11 fisiológico (também pode ser usado com glicose32 5% e solução de cloreto de sódio 0,45% ou 0,2%);
Solução injetável de Ringer Lactato
Açucar Invertido 5% ou 10% em água estéril para injeção6;
Solução Injetável de Ringer.



ESTABILIDADE E CONSERVAÇÃO - CEFAZOLINA

Antes da reconstituição CEFAZOLINA deve ser conservada à temperatura ambiente (entre 20 e 30ºC). As soluções contendo CEFAZOLINA devem ser usadas em 72 horas quando armazenadas a temperatura ambiente.Soluções contendo CEFAZOLINA em água estéril para injeção6, solução de glicose32 a 5%, ou soro11 fisiológico 0,9%, que sejam imediatamente refrigerados após a reconstituição no recipiente original, são estáveis por 12 semanas quando armazenado a - 20ºC. Caso o prodtuo congelado seja aquecido, deve-se usar de cautela para evitar o aquecimento após o descongelamento estar completo. Uma vez descongelada, a solução não deve ser recongelada.




SUPERDOSAGEM - CEFAZOLINA

A administração inapropriada de grandes doses de cefalosporinas parenterais pode causar tonturas52, parestesias53, cefaléias54. Convulsões podem ocorrer após superdosagem com algumas cefalosporinas, em particular nos pacientes com disfunção renal30, nos quais é provável a ocorrência de acúmulo de droga. A redução da dose é necessária quando a função renal30 está comprometida (ver POSOLOGIA). Caso ocorra convulsão55, a droga deve ser prontamente descontinuada; pode ser administrada terapias anticonvulsivante caso seja clinicamente indicado. A hemodiálise56 pode ser considerada nos casos de dosagem maciça.
As anormalidades que podem ocorrer após uma superdosagem incluem elevações da creatinina14, nitrogênio uréico sérico, enzimas hepáticas e bilirrubina13, teste de Coombs positivo, trombocitose57, trombocitopenia39, eosinofilia, leucopenia37 e prolongamento do tempo de protrombina.

nº. do lote, data de fabricação e validade : vide cartucho.


VENDA SOB PRESCRIÇÃO MÉDICA



CEFAZOLINA - Laboratório

Nenhum comentário:

Postar um comentário