DULCOLAX

Composição - DULCOLAX
drágeas1: cada drágea2 contém: bisacodil 5 mg.Supositórios: cada supositorio contém 10 mg de bisacodil.


Posologia e Administração - DULCOLAX
drágeas1: adultos: em geral, 2 drágeas1 ao deitar. Nos casos rebeldes, a dose poderá ser aumentada para 3 ou 4 drágeas1. Crianças acima de 4 anos: 1 drágea2 ao deitar. As drágeas1 devem ser deglutidas inteiras, sem mastigar. Podem ser administradas estando o estômago3 cheio ou vazio, com ou sem líquido. Administrado à noite, Dulcolax - sem perturbar o sono - atua cerca de 10 horas depois, provocando pela manhã uma ou duas evacuações. Quando o medicamento é ingerido pela manhã, em jejum, o seu efeito ocorre mais cedo, após 6 ou 7 horas. Supositorios: a dose individual média para adultos é de 1 supositório. O efeito dos supositórios manifesta-se com uma ou duas evacuações pouco tempo após a aplicação. Nos casos de constipação4 particularmente rebelde indica-se, para adultos, a aplicação de 2 supositórios ou tratamento combinado com drágeas1 e supositórios. Para a limpeza intestinal com finalidade radiológica, recomenda-se associar as drágeas1 (ingeridas na véspera do exame) a um supositório de Dulcolax pela manhã, o que poderá ser feito no próprio consultório do radiologista, cerca de meia hora antes do exame.


Precauções - DULCOLAX
Dulcolax não deve ser usado em casos de enfermidades inflamatórias agudas do trato gastrintestinal. Em crianças menores de 4 anos de idade, o produto somente poderá ser administrado sob recomendação médica. Como ocorre com todos os laxativos, no uso freqüente ou contínuo, o paciente pode acostumar- se a utilizar tais produtos sem necessidade, abandonando as medidas higiênicas e dietéticas adequadas. Quando houver necessidade de um tratamento contínuo recomenda-se que seja feito sob controle médico. A administração prolongada e/ou de doses altas pode causar perdas de potássio e de outros eletrólitos, o que, por sua vez, pode ocasionar transtornos da função cardíaca e astenia5 muscular, sobretudo quando do uso concomitante de diuréticos6 e corticosteróides; fica aumentada, ainda, a sensibilidade aos glicosídeos cardíacos. Deve-se evitar o uso concomitante de antiácidos7 (p. ex., bicarbonato de sódio, leite de magnésia) e Dulcolax. - Gravidez8 e lactação9: embora os estudos pré-clínicos não tenham demonstrado riscos, ainda não foi comprovada a segurança do uso do produto na gravidez8 humana. Deste modo, devem ser observadas as medidas habituais de precaução a respeito do uso de medicamentos na gravidez8, sobretudo durante o primeiro trimestre. O medicamento não passa para o leite materno, podendo ser usado durante o período de lactação9. - Interações medicamentosas: Dulcolax pode aumentar a perda de potássio causada por outros medicamentos (p. ex., diuréticos6). O uso concomitante de antibióticos pode reduzir a ação laxante10 do produto.


Reações adversas - DULCOLAX
são raras quando do uso de Dulcolax durante curtos períodos de tempo. A administração crônica, sobretudo de altas doses, pode causar perdas de eletrólitos, principalmente de potássio. Dulcolax supositórios pode causar processos inflamatórios, por ex., proctite11. Não é recomendado seu uso por período longo. Superdosagem: sintomas12: dor espástica no abdômen inferior com freqüentes evacuações. Tratamento: tratamento e correção dos distúrbios hidroeletrolíticos.


Contra-Indicações - DULCOLAX
não administrar o produto em casos de enfermidades abdominais agudas que exijam uma intervenção, p. ex., oclusão intestinal.


Indicações - DULCOLAX
todas as formas de constipação4 intestinal. Como coadjuvante da evacuação intestinal em pacientes acamados, assim como no pós- operatório e no pós-parto. Para limpeza intestinal prévia nos exames radiológicos. Para facilitar as evacuações nos pacientes hemorroidários ou portadores de fissuras anais.


Apresentação - DULCOLAX
embalagem com 20 drágeas1 e embalagem com 6 supositórios.





DULCOLAX - Laboratório

Nenhum comentário:

Postar um comentário