METRONIDAZOL

Indicações - METRONIDAZOL
QUIMIOTERAPICO INDICADO NO TRATAMENTO DE AMEBIASE, GIARDIASE E TRICHOMONIASE.


Apresentação - METRONIDAZOL
CAIXA COM 50 ENVELOPES DE 10 COMPRIMIDOS DE 250 MG E CAIXA COM 50 FRASCOS DE 100 ML CONTENDO SUSPENSAO ORAL A 4 %.


Composição - METRONIDAZOL
CADA ML CONTEM METRONIDAZOL 5,00 MG, VEICULO AQUOSO ESTERIL Q.S.P. 1,0 ML.


Posologia e Administração - METRONIDAZOL
O METRONIDAZOL INJETAVEL PODE SER ADMINISTRADO ISOLADO OU CONCOMITANTE (MAS SEPARADAMENTE) COM OUTROS AGENTES ANTIBACTERIANOS. A PERFUSAO DEVE SER FEITA A RAZAO DE 5 ML POR MINUTO. TRATAMENTO: ADULTOS E CRIANCAS MAIORES DE 12 ANOS: 100 ML (500 MG) EM PERFUSAO INTRAVENOSA CADA 8 HORAS. CRIANCAS MENORES DE 12 ANOS: MESMO PROCEDIMENTO UTILIZADO PARA ADULTOS, MAS A DOSE INTRAVENOSA DEVE SER ESTABELECIDA A BASE DE 1,5 ML (7,5 MG DE METRONIDAZOL) A CADA 8 HORAS. PROFILAXIA: ADULTOS E CRIANCAS MAIORES DE 12 ANOS: 15 MG/KG PESO EM PERFUSAO INTRAVENOSA 1 A 2 HORAS ANTES DA CIRURGIA, SEGUIDOS POR 7,5 MG/KG EM PERFUSAO INTRAVENOSA EM 6 E 12 HORAS APOS A DOSE INICIAL. CRIANCAS MENORES DE 12 ANOS: A CRITERIO MEDICO.


Precauções - METRONIDAZOL
QUANDO O PRODUTO E ADMINISTRADO EM DOSAGENS DIARIAS ELEVADAS, POR EXEMPLO: 2 G POR VIA INJETAVEL, DURANTE UM PERIODO MAIOR QUE 7 DIAS, UMA AVALIACAO CLINICA E BIOLOGICA DE EFEITOS SECUNDARIOS DEVE SER EFETUADA. DEVE SER EVITADO O USO SIMULTANEO DE ALCOOL COM METRONIDAZOL, POIS ESTE PRODUZ ACUMULO DO ACETALDEIDO POR INTERFERENCIA COM A OXIDACAO DO ALCOOL, DANDO LUGAR A EFEITOS SEMELHANTES AO DO DISSULFIRAM. EVITAR O USO CONCOMITANTE COM WARFARINA E OUTROS ANTICOAGULANTES DERIVADOS CUMARINICOS, POIS O METRONIDAZOL POTENCIALIZA O EFEITO ANTICOAGULANTE1; O USO COM DISSULFIRAM PODE RESULTAR EM REACOES PSICOTICAS AGUDAS OU ESTADOS DE CONFUSAO CAUSADOS POR TOXICIDADE COMBINADA. NO USO COM FENOBARBITAL E FENITOINA, A ACAO ANTIMICROBIANA DO METRONIDAZOL PODE SER REDUZIDA. NESSES CASOS, E NECESSARIO O AJUSTE DA DOSE DO ANTIINFECCIOSO. O USO COM CIMETIDINA PODE INIBIR O METABOLISMO2 DO METRONIDAZOL. EM PACIENTES RECEBENDO ALTAS DOSES DE LITIO, O METRONIDAZOL PODE AUMENTAR A TOXICIDADE DO LITIO.


Reações Adversas - METRONIDAZOL
SISTEMA NERVOSO3 CENTRAL: REACOES MAIS GRAVES: DOENCAS SUBITAS E NEUROPATIAS PERIFERICAS, A ULTIMA CARACTERIZADA PRINCIPALMENTE POR DORMENCIA OU PARESTESIA4 DE EXTREMIDADE. REACOES MENOS GRAVES: TONTURA5, VERTIGEM6, INCOORDENACAO, ATAXIA7, CONFUSAO, IRRITABILIDADE, DEPRESSAO, FRAQUEZA, INSONIA, DORES DE CABECA, SINCOPE. ENCEFALOPATIA TOXICA PODE SER ASSOCIADA A DOSES MUITO ALTAS OU PROLONGADAS. - GASTRINTESTINAIS: REACOES MAIS COMUNS: NAUSEAS, ALGUMAS VEZES ACOMPANHADAS POR DORES DE CABECA, ANOREXIA8 E OCASIONALMENTE VOMITOS; DIARREIA, CAIMBRAS ABDOMINAIS, CONSTIPACAO, PROCTITE9, GOSTO METALICO FORTE E DESAGRADAVEL, GLOSSITE10, ESTOMATITE11 (ESTES ULTIMOS PROVAVELMENTE ASSOCIADOS A CRESCIMENTO REPENTINO DE CANDIDA). PARADOXALMENTE O METRONIDAZOL PODE CAUSAR COLITE12 PSEUDOMEMBRANOSA. - HEMATOLOGICOS: NEUROPENIA REVERSIVEL (LEUCOPENIA13). RENAIS/GENITURINARIOS: DISURIA, CISTITE14, POLIURIA, INCONTINENCIA, SENSACAO DE PRESSAO PELVICA. FOI RELATADA A OBSERVACAO DE URINA15 ESCURA (COR VERMELHO-CASTANHO). O PIGMENTO PARECE PROVIR DE UM METABOLITO DO METRONIDAZOL E NAO TEM SIGNIFICADO CLINICO. PROLIFERACAO DE CANDIDA NA VAGINA, LIBIDO DIMINUIDA. CARDIACOS: ACHATAMENTO DA ONDA T PODE SER OBSERVADO EM TRACADOS ELETROCARDIOGRAFICOS. HIPERSENSIBILIDADE: URTICARIA, ``RASH16'' ERITEMATOSO, ``FLUSHING'', CONGESTAO NASAL, SECURA DA BOCA (OU VAGINA OU VULVA), FEBRE17. REACOES LOCAIS: TROMBOFLEBITE18 APOS INFUSAO INTRAVENOSA PODE SER MINIMIZADA OU ELIMINADA EVITANDO O USO PROLONGADO DE CATETERES INTRAVENOSOS. - OUTROS: DORES NAS JUNTAS, ALGUMAS VEZES SEMELHANTES A DOENCA DO SORO19. EXISTE UM CASO RELATADO DE PANCREATITE20 INDUZIDA POR METRONIDAZOL. - CONDUTA NA SUPERDOSAGEM: QUADRO CLINICO: NAUSEAS, VOMITOS E ATAXIA7. PODEM APARECER EFEITOS NEUROTOXICOS QUE INCLUEM DOENCAS SUBITAS E NEUROPATIA21 PERIFERICAS QUANDO USADO COMO SENSIBILIZADOR DE RADIACAO NO TRATAMENTO DE TUMORES MALIGNOS APOS 5 A 7 DIAS COM DOSES DE 6 A 10,4 G EM DIAS ALTERNADOS. TRATAMENTO: NAO EXISTE ANTIDOTO ESPECIFICO POR ISSO DEVEM SER ADOTADOS TRATAMENTO SINTOMATICO E MEDIDAS DE SUPORTE.


Contra-indicações - METRONIDAZOL
HIPERSENSIBILIDADE ANTERIOR AO METRONIDAZOL OU A OUTRO DERIVADO IMIDAZOLICO. E CONTRA- INDICADO NO PRIMEIRO TRIMESTRE DA GRAVIDEZ22.


Indicações - METRONIDAZOL
INFECCOES POR BACTERIAS ANAEROBICAS, TAIS COMO, BACTEROIDES FRAGILIS E OUTROS TIPOS DE BACTEROIDES, FUSOBACTERIAS, EUBACTERIAS, CLOSTRIDIA, ESTREPTOCOCO ANAEROBICO. PROFILAXIA E TRATAMENTO DE INFECCOES CIRURGICAS.


Apresentação - METRONIDAZOL
FRASCO DE 100 ML.


Composição - METRONIDAZOL
COMPRIMIDOS: METRONIDAZOL 250 MG; EXCIPIENTE Q.S.P. 1 COMPRIMIDO. SUSPENSAO: BENZOILMETRONIDAZOL 200 MG; EXCIPIENTE Q.S.P. 5 ML.


Posologia e Administração - METRONIDAZOL
TRICOMONIASE: MULHERES: TRATAMENTO DE 1 DIA: 2 G DE METRONIDAZOL (4 COMPRIMIDOS)/DIA, ADMINISTRADOS EM DOSE UNICA OU EM 2 DOSES DE 1 G. TRATAMENTO DE 7 DIAS: 250 MG (1 COMPRIMIDO) 3 VEZES AO DIA, POR 7 DIAS CONSECUTIVOS. ESTUDOS COMPARATIVOS, FEITOS ATRAVES DE ESFREGACOS VAGINAIS, SINAIS23 E SINTOMAS24 DA DOENCA, MOSTRAM QUE HA UMA PROPORCAO MAIOR DE CURA QUANDO E EFETUADO O TRATAMENTO DE 7 DIAS, QUE PODE MINIMIZAR A REINFECCAO DE MULHERES EM ATIVIDADE SEXUAL. ALGUNS PACIENTES PODEM TOLERAR MELHOR UM OU OUTRO ESQUEMA. PACIENTES GRAVIDAS NAO DEVEM SER TRATADAS DURANTE O PRIMEIRO TRIMESTRE DE GRAVIDEZ22, A NAO SER EM CASOS ABSOLUTAMENTE NECESSARIOS, E CASO ISSO OCORRA A TERAPIA COM DOSE UNICA NAO DEVE SER UTILIZADA, PORQUE RESULTA EM ALTOS NIVEIS SOROLOGICOS OS QUAIS ATINGEM A CIRCULACAO FETAL. QUANDO HOUVER NECESSIDADE DE REPETIR O TRATAMENTO E RECOMENDADO UM INTERVALO DE 4 A 6 SEMANAS ENTRE UM E OUTRO. RECOMENDA- SE AINDA A CONFIRMACAO DA PRESENCA DO TRICHOMONAS POR MEDIDAS LABORATORIAIS APROPRIADAS. CONTAGEM TOTAL E DIFERENCIAL DE LEUCOCITOS DEVE SER FEITA ANTES E DEPOIS DO TRATAMENTO. HOMENS: O TRATAMENTO DEVE SER INDIVIDUALIZADO COMO PARA MULHERES. AMEBIASE: ADULTOS: PARA AMEBIASE INTESTINAL AGUDA (DISENTERIA AMEBIANA AGUDA): 750 MG (3 COMPRIMIDOS) 3 VEZES AO DIA, DURANTE 5 A 10 DIAS. ABSCESSO25 AMEBICO HEPATICO: 500 A 750 MG (2 A 3 COMPRIMIDOS) 3 VEZES AO DIA, DURANTE 5 A 10 DIAS. CRIANCAS: 35 A 50 MG/DIA, DIVIDIDOS EM 3 DOSES DURANTE 10 DIAS. USAR O PRODUTO NA FORMA DE SUSPENSAO. INFECCAO BACTERIANA ANAEROBICA: NO TRATAMENTO DE INFECCOES ANAEROBICAS GRAVES, O TRATAMENTO COM METRONIDAZOL INTRAVENOSO E ADMINISTRADO INICIALMENTE. APOS A TERAPIA INTRAVENOSA O METRONIDAZOL ORAL PODE SER USADO EM CONDICOES QUE OFERECAM EFICACIA SOBRE A GRAVIDADE DA DOENCA E A RESPOSTA DO PACIENTE AO TRATAMENTO INTRAVENOSO. DOSE USUAL PARA ADULTOS: 7,5 MG/KG CADA 6 HORAS (APROXIMADAMENTE 500 MG PARA UM ADULTO DE 70 KG). UMA DOSE MAXIMA DE 4,0 G NAO DEVE SER EXCEDIDA DURANTE UM PERIODO DE 24 HORAS. A DURACAO USUAL DA TERAPIA E DE 7 A 10 DIAS, NO ENTANTO, INFECCOES DE OSSOS E ARTICULACOES, DO TRATO RESPIRATORIO INFERIOR E NA ENDOCARDITE26 PODE SER NECESSARIO TRATAMENTO POR TEMPO MAIS PROLONGADO. PACIENTES COM DOENCAS HEPATICAS GRAVES, METABOLIZAM O METRONIDAZOL VAGAROSAMENTE, COM RESULTANTE ACUMULO DA DROGA E SEUS METABOLITOS NO PLASMA27. EM FUNCAO DISSO, PARA TAIS PACIENTES, DEVEM SER ADMINISTRADAS COM CAUTELA DOSES MENORES QUE AS USUALMENTE UTILIZADAS. RECOMENDA-SE MONITORIZAR OS NIVEIS PLASMATICOS DA DROGA. PACIENTES ANURICOS NAO NECESSITAM DE REDUCOES ESPECIFICAS DAS DOSES PORQUE OS METABOLITOS ACUMULADOS PODEM SER RAPIDAMENTE REMOVIDOS POR DIALISE. - CONDUTA NA SUPERDOSAGEM: NAO HA ANTIDOTO ESPECIFICO PARA SUPERDOSAGEM DO METRONIDAZOL, NO ENTANTO, A MANUTENCAO DO PACIENTE DEVE CONSISTIR DE TERAPIA SINTOMATICA E DE SUPORTE. EM CASO DE SUPERDOSAGEM, A MEDICACAO DEVERA SER SUSPENSA E O MEDICO ASSISTENTE IMEDIATAMENTE CONSULTADO.


Precauções - METRONIDAZOL
METRONIDAZOL MOSTROU- SE CARCINOGENICO EM CAMUNDONGOS E RATOS. O USO DESNECESSARIO DESTA DROGA DEVE SER EVITADO, DEVENDO SER RESTRITO PARA AS CONDICOES DESCRITAS EM INDICACOES E USOS. O APARECIMENTO DE SINAIS23 NEUROLOGICOS ANORMAIS EXIGE A IMEDIATA SUSPENSAO DA DROGA. PACIENTES COM DOENCA HEPATICA GRAVE, METABOLIZAM O METRONIDAZOL VAGAROSAMENTE, COM RESULTANTES ACUMULOS DA DROGA E SEUS METABOLITOS NO PLASMA27. POR ESTE MOTIVO, PARA TAIS PACIENTES, SAO RECOMENDADAS DOSES MAIS BAIXAS QUE AS USADAS NORMALMENTE E A ADMINISTRACAO DEVE SER FEITA COM CAUTELA. CANDIDIASE CONHECIDA PREVIAMENTE PODE APRESENTAR SINTOMAS24 MAIS PROEMINENTES DURANTE TERAPIA COM METRONIDAZOL E NECESSITAR DE TRATAMENTO COM AGENTE APROPRIADO. RECOMENDA-SE CONTAGEM TOTAL E DIFERENCIAL DE LEUCOCITOS ANTES E APOS A TERAPIA COM TRICOMONIASE E AMEBIASE, ESPECIALMENTE SE UM SEGUNDO CURSO DE TERAPIA TIVER SIDO NECESSARIO ANTES E APOS A TERAPIA PARA INFECCAO ANAEROBICA. USO NA GRAVIDEZ22: METRONIDAZOL ATRAVESSA A BARREIRA PLACENTARIA E PENETRA RAPIDAMENTE NA CIRCULACAO FETAL. ESTUDOS DE REPRODUCAO FORAM REALIZADOS EM COELHOS E RATOS EM DOSES DE ATE 5 VEZES A DOSE HUMANA E NAO REVELARAM EVIDENCIA DE PREJUIZO NA FERTILIDADE E DANOS AO FETO. NAO HA ENTRETANTO, UM ESTUDO BEM ADEQUADO E CONTROLADO EM MULHERES GRAVIDAS. PELO FATO DE QUE ESTUDOS DE REPRODUCAO ANIMAL NEM SEMPRE SAO PROGNOSTICOS DE RESPOSTAS HUMANAS E PORQUE O METRONIDAZOL E UMA DROGA CARCINOGENICA PARA ROEDORES, O PRODUTO SOMENTE DEVERA SER USADO NA GRAVIDEZ22 QUANDO ABSOLUTAMENTE NECESSARIO. O USO DO PRODUTO PARA TRICOMONIASE NO PRIMEIRO TRIMESTRE DE GRAVIDEZ22 DEVE SER RESTRITO PARA AS PACIENTES NAS QUAIS O TRATAMENTO PALIATIVO LOCAL TENHA SE MOSTRADO INADEQUADO PARA O CONTROLE DOS SINTOMAS24. LACTACAO: O METRONIDAZOL E EXCRETADO NO LEITE DE PEITO EM CONCENTRACOES SIMILARES AQUELAS ENCONTRADAS NO PLASMA27. DEVIDO AO POTENCIAL DE TUMORIGENICIDADE DEMONSTRADO PARA O METRONIDAZOL NOS ESTUDOS EM CAMUNDONGOS E RATOS, DEVE SER TOMADA UMA DECISAO PARA SUSPENDER A AMAMENTACAO OU DESCONTINUAR A DROGA, LEVANDO EM CONTA A IMPORTANCIA DO MEDICAMENTO PARA A MAE. USO PEDIATRICO: SEGURANCA E EFICACIA EM CRIANCAS NAO FORAM ESTABELECIDAS, EXCETO PARA O TRATAMENTO DE AMEBIASE. TESTES LABORATORIAIS: O USO DE METRONIDAZOL PODE INTERFERIR COM OS VALORES DE CERTAS ANALISES QUIMICAS DO SORO19. VALORES DE ZERO PODEM SER ENCONTRADOS NA AVALIACAO DE TRANSAMINASES GLUTAMICO OXALOACETICA. INTERACOES MEDICAMENTOSAS: METRONIDAZOL POTENCIALIZA O EFEITO DE ANTICOAGULANTES ORAIS (P. EX. CUMARINA E WARFARINA), RESULTANDO EM PROLONGAMENTO DO TEMPO DE PROTROMBINA. ESTA INTERACAO DEVE SER CONSIDERADA QUANDO O PRODUTO E PRESCRITO PARA PACIENTES COM ESTE TIPO DE TERAPIA ANTICOAGULANTE1. DURANTE O TRATAMENTO COM O PRODUTO O PACIENTE DEVE ABSTER-SE DE ALCOOL; PODE OCORRER SINTOMAS24 LEVES DO TIPO DISSULFIRAM POR POSSIVEL INIBICAO DO METABOLISMO2 DO ALCOOL. A ADMINISTRACAO CONCOMITANTE COM DISSULFIRAM DEVE SER EVITADA DEVIDO A POSSIBILIDADE DE OCORRENCIA DE SINDROME CEREBRAL ORGANICA, POR MECANISMO NAO ESTABELECIDO. QUANDO ADMINISTRA-SE O PRODUTO SIMULTANEAMENTE COM FENOBARBITAL, OCORRE DIMINUICAO DO EFEITO DO METRONIDAZOL PROVAVELMENTE POR AUMENTO DE SEU METABOLISMO2, RECOMENDA-SE DOBRAR A DOSE DE METRONIDAZOL SE O FENOBARBITAL FOR INDISPENSAVEL COMO ANTICONVULSIVAMENTE.


Reações Adversas - METRONIDAZOL
AS SEGUINTES REACOES TEM SIDO RELATADAS DURANTE O TRATAMENTO COM METRONIDAZOL: BOCA: E COMUM O APARECIMENTO DE ACENTUADO GOSTO METALICO, ACRE, DESAGRADAVEL. LINGUA SABURROSA, GLOSSITE10 E ESTOMATITE11 PODEM OCORRER DURANTE O TRATAMENTO E ESTAREM ASSOCIADAS A UMA REPENTINA INTENSIFICACAO DE MONILIASE. HEMATOPOIETICO: NEUTROPENIA28 REVERSIVEL (LEUCOPENIA13). CARDIOVASCULAR: ACHATAMENTO DAS ONDAS T PODE SER OBSERVADO EM TRACADOS ELETROCARDIOGRAFICOS. SNC: ACESSOS CONVULSIVOS, NEUROPATIA21 PERIFERICA, VERTIGEM6, TONTURAS29, INCOORDENACAO, ATAXIA7, CONFUSAO, IRRITABILIDADE, DEPRESSAO, FRAQUEZA E INSONIA. HIPERSENSIBILIDADE: URTICARIA, ERUPCAO ERITEMATOSA, RUBOR, CONGESTAO NASAL, SECURA DA BOCA, VAGINA OU VULVA E FEBRE17. RENAL30: DISURIA, CISTITE14, POLIURIA, INCONTINENCIA E SENSACAO DE PRESSAO PELVICA. CASOS DE ESCURECIMENTO DA URINA15 FORAM OBSERVADOS E ESTA MANIFESTACAO TEM SIDO OBJETO DE ESPECIAL INVESTIGACAO. EMBORA O PIGMENTO PROVAVELMENTE RESPONSAVEL POR ESTE FENOMENO NAO TENHA SIDO IDENTIFICADO, E QUASE CERTO QUE SEJA UM METABOLITO DO METRONIDAZOL QUE PARECE NAO TER SIGNIFICANCIA CLINICA. OUTROS: PROLIFERACAO DE CANDIDA NA VAGINA, DISPAREUNIA, DIMINUICAO DA LIBIDO, PROCTITE9 E DOR FUGAZ NAS ARTICULACOES, ALGUMAS VEZES SEMELHANTES A ``DOENCA DO SORO19''. SE PACIENTES QUE ESTEJAM FAZENDO USO DE METRONIDAZOL INGERIREM BEBIDAS ALCOOLICAS, PODEM OCORRER DOR ABDOMINAL, VOMITO, RUBOR OU DOR DE CABECA. AS DUAS REACOES ADVERSAS MAIS GRAVES RELATADAS EM PACIENTES TRATADOS COM METRONIDAZOL FORAM ACESSO CONVULSIVO E NEUROPATIA21 PERIFERICA, A ULTIMA CARACTERIZADA PRINCIPALMENTE POR DORMENCIA OU PARESTESIA4 DE UMA EXTREMIDADE. VISTO QUE NEUROPATIA21 PERIFERICA TEM SIDO RELATADA EM ALGUNS PACIENTES QUE RECEBERAM TERAPIA PROLONGADA COM METRONIDAZOL, OS PACIENTES DEVEM SER ESPECIALMENTE ADVERTIDOS A RESPEITO DESSAS REACOES; RECOMENDANDO- SE SUSPENSAO DA DROGA E CONSULTA IMEDIATA AO CLINICO ASSISTENTE SE OCORRER ALGUM SINTOMA31 NEUROLOGICO. AS REACOES ADVERSAS MAIS COMUNS REFEREM-SE AO TRATO GASTRINTESTINAL, PARTICULARMENTE NAUSEAS ALGUMAS VEZES ACOMPANHADA DE DOR DE CABECA, ANOREXIA8 E OCASIONALMENTE VOMITO, DIARREIA, EPIGASTRALGIA32 E COLICA ABDOMINAL. HA RELATOS TAMBEM DE CONSTIPACAO.


Contra-indicações - METRONIDAZOL
O PRODUTO E CONTRA- INDICADO EM PACIENTES COM HISTORIA PREGRESSA DE HIPERSENSIBILIDADE AO METRONIDAZOL OU OUTROS DERIVADOS NITROIMIDAZOLICOS; NO CASO DE PACIENTES COM DOENCA ATIVA DO SNC E COM EVIDENCIAS OU HISTORIA DE DISCRASIA SANGUINEA. EM PACIENTES COM TRICOMONIASE, O PRODUTO E CONTRA-INDICADO DURANTE O PRIMEIRO TRIMESTRE DE GRAVIDEZ22.


Indicações - METRONIDAZOL
TRICOMONIASE SINTOMATICA: METRONIDAZOL E INDICADO PARA O TRATAMENTO DE TRICOMONIASE SINTOMATICA DE HOMENS E MULHERES, QUANDO A PRESENCA DE TRICHOMONAS TENHA SIDO CONFIRMADA POR PROCEDIMENTOS LABORATORIAIS APROPRIADOS. TRICOMONIASE ASSINTOMATICA: METRONIDAZOL E INDICADO NO TRATAMENTO DE MULHERES ASSINTOMATICAS, QUANDO O MICROORGANISMO E ASSOCIADO COM ENDOCERVICITE, CERVICITES OU EROSAO CERVICAL. SABENDO- SE QUE A PRESENCA DE TRICHOMONAS PODE INTERFERIR COM A EFICACIA DA AVALIACAO NA ANORMALIDADE DE ESFREGACOS CITOLOGICOS, RECOMENDA-SE PROCEDER A ESFREGACOS ADICIONAIS APOS A ERRADICACAO DO PARASITA33. TRATAMENTO DE PARCEIRO ASSINTOMATICO: INFECCAO POR TRICHOMONAS VAGINALIS E UMA DOENCA VENEREA. ENTRETANTO, PARCEIROS SEXUAIS ASSINTOMATICOS DE PACIENTES EM TRATAMENTO DEVEM SER TRATADOS SIMULTANEAMENTE PARA PREVENIR A REINFECCAO DO PACIENTE. AMEBIASE: METRONIDAZOL E INDICADO NO TRATAMENTO DE AMEBIASE INTESTINAL AGUDA (DISENTERIA AMEBIANA) E ABSCESSO25 AMEBIANO HEPATICO, O TRATAMENTO COM METRONIDAZOL NAO ELIMINA A NECESSIDADE DE ASPIRACAO OU DRENAGEM34 DO PUS35. INFECCOES BACTERIANAS OU ANAEROBICAS: METRONIDAZOL E INDICADO NO TRATAMENTO DE INFECCOES GRAVES CAUSADAS POR BACTERIA ANAEROBICA SUSCEPTIVEL. INDICACAO DE PROCEDIMENTOS CIRURGICOS PODE SER FEITA EM CONJUNTO COM TERAPIA DE METRONIDAZOL. EM INFECCOES MISTAS DE AEROBIOS E ANAEROBIOS, USAR ANTIBIOTICOS APROPRIADOS PARA A INFECCAO AEROBICA EM CONJUNTO COM METRONIDAZOL. NO TRATAMENTO DE INFECCOES ANAEROBICAS GRAVES, PODE-SE USAR INICIALMENTE O METRONIDAZOL NA FORMA INTRAVENOSA, SEGUIDO POR TERAPIA ORAL. INFECCOES INTRA-ABDOMINAIS: INCLUINDO PERITONITE36, ABSCESSO25 INTRA-ABDOMINAL E ABSCESSOS HEPATICOS. CAUSADOS POR BACTEROIDES SP, INCLUINDO O GRUPO B. FRAGILIS (B. FRAGILIS, B. DIASTASONIS, B. OVATUS, B. THETAIOTAOMICRON, B. VULGATUS), CLOSTRIDIUM SP, EUBACTERIUM SP, PEPTOCOCCUS SP E PEPTOSTREPTOCOCCUS SP. INFECCOES DA PELE E ESTRUTURAS DA PELE: CAUSADAS POR BACTEROIDES SP, INCLUINDO O GRUPO DE B. FRAGILIS, CLOSTRIDIUM SP, PEPTOCOCCUS SP, PEPTOSTREPTOCOCCUS SP E FUSOBACTERIUM SP. INFECCOES GINECOLOGICAS: INCLUINDO ENDOMETRITE, ENDOMIOMETRITES, ABSCESSOS TUBOOVARIANOS E INFECCOES POS-CIRURGICAS CAUSADAS POR ESPECIES DE BACTEROIDES INCLUINDO O GRUPO B. FRAGILIS, CLOSTRIDIUM SP, PEPTOCOCCUS SP E PEPTOSTREPTOCOCCUS SP. SEPTICEMIA BACTERIANA: CAUSADAS POR ESPECIES DE BACTEROIDES, INCLUINDO O GRUPO B. FRAGILIS E ESPECIES DE CLOSTRIDIUM. NAS SEGUINTES INFECCOES, CAUSADAS POR ESPECIE DE BACTEROIDES, INCLUINDO O GRUPO DE B. FRAGILIS: NAS INFECCOES DOS OSSOS E ARTICULACOES, O METRONIDAZOL E UTILIZADO COMO TERAPIA ADJUNTA; INFECCOES DO SNC, INCLUINDO MENINGITE37 E ABSCESSO25 CEREBRAL.; INFECCOES DO TRATO RESPIRATORIO INFERIOR, INCLUINDO PNEUMONIA38, ENFISEMA39 E ABSCESSO25 PULMONAR; ENDOCARDITES.


Apresentação - METRONIDAZOL
CAIXA COM 20 COMPRIMIDOS (USO ADULTO) E FRASCO COM 100 ML (USO PEDIATRICO).



METRONIDAZOL - Laboratório

Um comentário:

  1. A medica indico para o casal se so a mulher toma resolve o problema

    ResponderExcluir