MINODERM Comprimidos

Composição - MINODERM Comprimidos
cada comprimido revestido contém cloridrato deminociclina, equivalente a 100 mg de minociclina base e excipiente q.s.p. 1 comprimido. O excipiente contém: amido glicolato de sódio, amido de milho, celulose microcristalina, corante amarelo tartrazina, estearato de magnésio, hidroxipropilmetilcelulose, polietilenoglicol, polivinilpirrolidona, sílica.


Posologia e Administração - MINODERM Comprimidos
adultos: 200 mg, como dose inicial, seguida de 100 mg a cada 12 horas. Crianças maiores de oito anos: 4 mg/kg, como dose inicial, seguida de 2 mg/kg a cada 12 horas. Tratamento da acne1: 100 mg ao dia. Em pacientes com insuficiência renal2 ou hepática, a posologia deve ser reduzida, através da diminuição das doses e/ou aumento do intervalo entre elas. - Superdosagem: em caso de superdosagem, descontinuar a medicação, tratar os sintomas3 e instituir medidas de suporte.


Precauções - MINODERM Comprimidos
o emprego desta droga pode resultar em proliferação de microorganismos não suscetíveis, inclusive fungos. Caso ocorra superinfecção4, o tratamento deve ser interrompido e terapêutica adequada, instituída. A hipertensão5 intracraniana benigna (pseudotumor cerebral em adultos), cujas manifestações clínicas habituais são visão turva e cefaléia6, tem sido associada ao uso de tetraciclinas. O abaulamento de fontanela tem sido associado ao uso de tetraciclinas, em crianças pequenas. Ambas as condições e sintomas3 associados geralmente regridem após a interrupção do tratamento, mas há a possibilidade de seqüela permanente. Tem sido observada fotossensibilidade, manifestada por uma reação exagerada à exposição solar, em alguns pacientes em tratamento com as tetraciclinas. Pacientes sujeitos a exposição à luz solar direta ou à radiação ultravioleta devem ser avisados desta possibilidade e ao primeiro sinal7 de eritema8 cutâneo, o tratamento deve ser interrompido. Os pacientes que apresentarem sintomas3 associados ao SNC devem ser avisados para ter cautela quando dirigirem veículos ou operarem máquinas perigosas, durante o tratamento com a minociclina. O uso concomitante com as tetraciclinas pode tornar os anticoncepcionais orais menos eficazes. O paciente deve informar ao médico, caso esteja tomando algum outro medicamento. As tetraciclinas são excretadas no leite materno e, devido ao potencial de sérias reações adversas em lactentes9, deve- se tomar a decisão de descontinuar ou não o tratamento, considerando sua importância para a mãe. - Interações medicamentosas: as tetraciclinas podem deprimir a atividade da pró-trombina plasmática; portanto, os pacientes sob terapia anticoagulante10 podem requerer redução posológica do anticoagulante10. Antiácidos11 contendo alumínio, cálcio ou magnésio e preparações contendo ferro diminuem a absorção da minociclina. As drogas bacteriostáticas podem interferir na ação bactericida da penicilina, sendo, então, aconselhável evitar a administração de tetraciclina em associação à penicilina. O uso concomitante das tetraciclinas com anticoncepcionais orais pode ocasionar redução da eficácia contraceptiva e aumento da incidência12 de sangramento intermenstrual. O emprego concomitante de tetraciclinas com o metoxiflurano pode resultar em toxicidade renal13 fatal.


Reações adversas - MINODERM Comprimidos
devido à absorção praticamente completa da minociclina, os efeitos colaterais para o trato digestivo anterior, particularmente diarréia14, têm sido infreqüentes. Reações adversas observadas nos pacientes em tratamento com as tetraciclinas: gastrintestinais: anorexia15, náusea16, vômito17, diarréia14, desconforto gastrintestinal, glossite18, disfagia19, enterocolite, lesões inflamatórias da região anogenital (por supercrescimento de monília). Foram relatados raros casos de esofagite20 e ulceração esofágica. Cutâneas: pigmentação cutânea e de membranas mucosas. Foram raramente relatados erupção maculopapular eritematosa, eritema multiforme21, dermatite22 esfoliativa e síndrome23 de Stevens- Johnson. Fotossensibilidade à minociclina foi raramente relatada em estudos. Dentárias: foram relatadas manchas nos dentes e hipoplasia de seu esmalte, em crianças com menos de 8 anos de idade e, raramente, em adultos. Hepáticas: elevação das enzimas hepáticas, hepatite24 e icterícia25. Têm sido raramente relatados casos de insuficiência hepática26 grave. Renais: foi relatado aumento do nitrogênio uréico, que, aparentemente, estava relacionado à dose. Hipersensibilidade: urticária27, edema angioneurótico28, anafilaxia29, púrpura anafilactóide, pericardite30, poliartralgia, exacerbação e indução de lupo eritematoso sistêmico e, raramente, infiltrados pulmonares com eosinofilia. Neurológicas: foram relatados cefaléia6, aturdimento, tontura31, vertigem32, hipertensão5 intracraniana benigna e abaulamento de fontanela, em crianças pequenas. Hematológicas: foram relatadas anemia hemolítica33, trombocitopenia34, neutropenia35 e eosinofilia. Outras: a minociclina pode inibir o crescimento esquelético e produzir pigmentação dos ossos, da conjuntiva, da esclera e da glândula tireóide36. Não são reconhecidas anormalidades funcionais desta glândula37. Advertências: as tetraciclinas, incluindo a minociclina, podem causar dano fetal, quando administradas a mulheres grávidas. Deve-se avaliar o risco para o feto, na vigência de gravidez38 ou se a paciente engravidar, durante o tratamento com estas drogas. Não se recomenda a utilização de drogas da classe das tetraciclinas, durante o desenvolvimento dos dentes (em recém-nascidos e crianças menores de 8 anos), pois estas podem ocasionar manchas permanentes nos mesmos e/ou hipoplasia de seu esmalte. Todas as tetraciclinas formam um complexo cálcico estável com o tecido39 ósseo em formação. Na presença de insuficiência renal2, as doses orais usuais podem causar acúmulo sistêmico da droga e toxicidade hepática. A ação antianabólica das tetraciclinas pode causar aumento no nitrogênio uréico, que, nos pacientes com insuficiência renal2 significativa, níveis séricos mais altos de tetraciclinas podem ocasionar azotemia, hiperfosfatemia e acidose40. Fotossensibilidade à minociclina foi raramente relatada. Durante o uso de minociclina, os pacientes que apresentarem aturdimento, tontura31 ou vertigem32 devem ser alertados quanto a dirigir veículos ou operar máquinas perigosas. Tais sintomas3 podem desaparecer durante a terapia e sempre desaparecem quando o tratamento é interrompido.


Contra-Indicações - MINODERM Comprimidos
hipersensibilidade às tetraciclinas, insuficiência renal2, insuficiência hepática26.


Indicações - MINODERM Comprimidos
a minociclina é indicada no tratamento de infecções ocasionadas por cepas de microorganismos sensíveis à mesma, sendo particularmente indicada no tratamento da acne1 moderada ou severa.


Apresentação - MINODERM Comprimidos
cartuchos com 10 ou 30 comprimidos.





MINODERM Comprimidos - Laboratório

Nenhum comentário:

Postar um comentário