ARES

ARES
Brometo de Ipratrópio
Solução para Inalação

- FORMA FARMACÊUTICA E APRESENTAÇÃO:
Solução para inalação: frasco contendo 20ml.

USO PEDIÁTRICO E ADULTO


COMPOSIÇÃO - ARES
Cada ml da solução para inalação contém:
Brometo de ipratrópio 0,250mg
Veículo: cloreto de sódio, ácido clorídrico, cloreto de benzalcônio, edetato dissódico, água purificada.


INFORMAÇÕES AO PACIENTE - ARES

AÇÃO ESPERADA DO MEDICAMENTO:
É um agente broncodilatador1 para o tratamento preventivo e sintomático da asma2 brônquica, bronquite crônica3, enfisema4 pulmonar, asma2 e processos broncoespásticos crônicos.

CUIDADOS DE CONSERVAÇÃO:
Conserve o produto na embalagem original, em temperatura ambiente (15 a 30ºC) e protegido da luz.

PRAZO DE VALIDADE:
24 meses a partir da data de fabricação (vide cartucho). Não use medicamentos com o prazo de validade vencido.

GRAVIDEZ5 E LACTAÇÃO6:
Durante os 3 primeiros meses de gravidez5 e durante o aleitamento, o uso de Brometo de Ipratrópio não é recomendado. Informe ao seu médico a ocorrência de gravidez5 na vigência do tratamento ou após seu término. Informe ao médico se está amamentando.

CUIDADOS DE ADMINISTRAÇÃO:
O paciente deve manter os olhos fechados durante a inalação. Contacte seu médico imediatamente se os sintomas7 não apresentarem melhora dentro de 30 minutos após o uso do medicamento.
Siga a orientação do seu médico, respeitando sempre os horários, as doses e a duração do tratamento.
Não interrompa o tratamento sem o conhecimento do seu médico.

REAÇÕES ADVERSAS:
Informe seu médico o aparecimento de reações desagradáveis, como aumento do broncoespasmo8, dermatite9, dor aguda nos olhos, íleo paralítico, secura da boca, irritação da garganta e tosse. Quando do contato acidental com os olhos, podem ocorrer ligeiros transtornos reversíveis da acomodação visual.
TODO MEDICAMENTO DEVE SER MANTIDO FORA DO ALCANCE DAS CRIANÇAS.

CONTRA- INDICAÇÕES E PRECAUÇÕES:
O produto não deve ser usado por pacientes com hipersensibilidade aos componentes da fórmula ou sensibilidade às substâncias atropínicas. Deve ser usado com cautela em casos de glaucoma10 de ângulo fechado e hipertrofia11 prostática.
Informe seu médico sobre qualquer medicamento que esteja usando, antes do início ou durante o tratamento.
NÃO TOME REMÉDIO SEM O CONHECIMENTO DO SEU MÉDICO, PODE SER PERIGOSO PARA SUA SAÚDE.



INFORMAÇÕES TÉCNICAS - ARES
CARACTERÍSTICAS:
O Brometo de Ipratrópio quimicamente é um derivado da atropina. A broncodilatação produzida pelo ipratrópio é um efeito principalmente local- específico. O ipratrópio parece produzir a broncodilatação pela inibição competitiva dos receptores colinérgicos no músculo liso dos brônquios. Este efeito antagoniza a ação da acetilcolina no receptor da membrana e, além disso, bloqueia a ação broncoconstritora dos impulsos eferentes vagais.
A absorção sistêmica é mínima após inalação. O ipratrópio é muito pouco absorvido através dos pulmões12 e do trato gastrointestinal. O ipratrópio não atravessa a barreira hematoencefálica. A pequena porção de ipratrópio absorvida é metabolizada no fígado13, sendo que seus metabólicos possuem pequena ou nenhuma ação anticolinérgica. Os efeitos do medicamento se iniciam dentro de 5 a 15 minutos após sua inalação. O efeito permanece por cerca de 3 a 4 horas, podendo chegar a 6 ou 8 horas em alguns pacientes. A eliminação ocorre principalmente através das fezes; mais de 90% da dose inalada é engolida e eliminada inalterada. A porção absorvida é excretada principalmente na urina14.


INDICAÇÕES - ARES

ARES é indicado para o tratamento da exarcebação aguda da bronquite crônica3. Também é indicado para o tratamento da crise aguda do broncoespasmo8 em pacientes asmáticos, devendo ser usado em combinação com uma medicação beta- 2-agonista, como o fenoterol.


CONTRA-INDICAÇÕES - ARES

O uso do Brometo de Ipratrópio é contra- indicado em pacientes com história de hipersensibilidade aos componentes da fórmula ou à substâncias atropínicas.


PRECAUÇÕES E ADVERTÊNCIAS - ARES

Gerais: Em geral recomenda- se prudência com o uso de anticolinérgicos em pacientes com glaucoma10 de ângulo fechado e hipertrofia11 prostática, embora possa considerar o risco mínimo de complicação quando do emprego do produto em doses terapêuticas.
O paciente deve manter os olhos fechados durante a inalação, evitando- se o contato do medicamento com os olhos. Caso isso aconteça, pode ocorrer irritação ou visão borrada; nesses casos os olhos devem ser lavados com água fria.
O paciente deve ser orientado para contactar o médico imediatamente se os sintomas7 não apresentarem melhora dentro de 30 minutos após o uso do medicamento.
Gravidez5: A segurança do uso do Ipratrópio durante a gravidez5 ainda não foi estabelecida. Desse modo deve- se observar as precauções habituais quanto ao uso do produto durante esse período, especialmente durante o primeiro trimestre.
Amamentação15: A segurança do uso do Ipratrópio durante a lactação6 ainda não foi estabelecida.
Pediatria: Estudos realizados em crianças que usaram o Brometo de Ipratrópio, demostraram que não ocorrem problemas específicos relacionados à idade.



INTERAÇÕES MEDICAMENTOSAS - ARES
O Brometo de Ipratrópio potencializa o efeito broncodilatador1 dos beta- 2-adrenérgicos e da aminofilina, podendo à critério médico ser associado aos mesmos e aos corticosteróides.
O uso concomitante de outros anticolinérgicos, incluindo as preparações oftálmicas, ou outros medicamentos com ação anticolinérgica com o ipratrópio pode resultar em adição de efeitos.
Acredita- se que a tacrina exerce seu efeito pelo aumento da concentração efetiva de acetilcolina, o uso concomitante pode reduzir os efeitos tanto da tacrina quanto do ipratrópio.
A solução para inalação não deve ser misturado ao cromoglicato, porque esta mistura produz um precipitado devido à reação entre o cromoglicato dissódico e o cloreto de benzalcônio, conservante da solução de Brometo de Ipratrópio.


INTERFERÊNCIA EM EXAMES LABORATORIAIS - ARES

Não são conhecidos relatos sobre a interferência do ipratrópio em exames laboratoriais.


REAÇÕES ADVERSAS/COLATERAIS - ARES

Raramente podem ocorrer aumento do broncoespasmo8, dermatite9, angioedema16, rash17 cutâneo, urticária18, dor aguda nos olhos e íleo paralítico. O médico deve ser informado se as seguintes reações persistirem: tosse, boca seca, paladar desagradável, visão borrada ou outras alterações na visão, ardência nos olhos, tontura19, dor de cabeça, náusea20, nervosismo, palpitação21, sudorese22, tremor e retenção urinária23.


POSOLOGIA - ARES

Solução para inalação:
Adulto: 0,250- 0,500mg (25-50 gotas ou 1-2ml), a cada 4 a 6 horas.
Crianças acima de 5 anos: 0,125 - 0,250mg (13-25 gotas ou ½ a 1ml), a cada 4-6 horas.
Crianças menores de 5 anos: a posologia deve ser adaptada à critério médico, sendo que os estudos realizados demonstraram ser a dose adequada de 0,050- 0,125 (5 a 13 gotas ou 0,2 a 0,5ml), a cada 4-6 horas.
A solução para inalação deve ser administrada via inalatória por nebulização24 da solução. Se necessário, diluí- la em 3-5ml de solução salina (cloreto de sódio a 0,9%), utilizando-se oxigênio ou ar comprimido. ARES pode ser combinado com um beta-2-agonista, como o fenoterol, na inalação para tratamento da crise aguda do broncoespasmo8.


SUPERDOSAGEM - ARES

Não se observaram manifestações sistêmicas de maior grau de gravidade, mesmo com o uso de doses de até 1,2mg (aproximadamente 30 vezes a dose terapêutica) do Brometo de Ipratrópio. No entanto, qualquer manifestação que necessite de maiores cuidados deve receber tratamento sintomático. Inibidores da colinesterase podem ser empregados no aparecimento de sinais25 de grave intoxicação por anticolinérgicos.


PACIENTES IDOSOS - ARES

Não são conhecidos problemas específicos do uso do ipratrópio relacionados à idade.



ARES - Laboratório

Nenhum comentário:

Postar um comentário