AROTIN

AROTIN

Cloridrato de paroxetina

Reg. M.S. nº 1.0047.0347


Apresentação - AROTIN

30 comprimidos de 20 mg


Indicações - AROTIN

Tratamento dos sintomas1 de doença depressiva de todos os tipos, incluindo depressão reativa
e grave e depressão acompanhada por ansiedade; para o tratamento dos sintomas1 e prevenção de
recorrências do Transtorno Obsessivo Compulsivo (TOC); Doença do Pânico, com ou sem agorafobia; e
ainda, para o tratamento da Fobia Social/Transtorno da Ansiedade Social - DMS-IV.


Contra-indicações - AROTIN

AROTIN é contra- indicado para pacientes com conhecida hipersensibilidade à droga
ou a qualquer componente do produto e não deve ser usado concomitantemente com inibidores da MAO.


Precauções e advertências - AROTIN

AROTIN (cloridrato de paroxetina) não deve ser usado em combinação cominibidores da monoaminoxidase (MAO) ou durante as 2 semanas após o término do tratamento com este
tipo de substância. História de mania / Anticoagulantes orais / Problemas cardíacos / Epilepsia2 : Da mesma
forma que ocorre com todos os antidepressivos, deve ser usado com cautela. Triptofano: Experiências
adversas foram relatadas quando triptofano foi administrado com outro inibidor seletivo de recaptação da
serotonina (ISRS). Convulsões: A incidência3 de convulsões é < 0,1% e deve ser descontinuada em
qualquer paciente que apresente convulsão4. Glaucoma5: Assim como ocorre com outros ISRSs, cloridrato
de paroxetina raramente causou midríase. Terapia eletroconvulsiva (TEC): Há pouca experiência clínica em
relação à administração concomitante de AROTIN (cloridrato de paroxetina) em pacientes sob TEC.
Neurolépticos: sintomas1 sugestivos de síndrome6 maligna neuroléptica foram relatados com esta
combinação. Agravamento da depressão, idéias suicidas e a possibilidade de suicídio. Hiponatremia foi
raramente relatada, predominantemente em idosos. Sangramento na pele e membranas mucosas foi
relatado após tratamento. Capacidade de dirigir / operar máquinas: Experiências clínicas têm demonstrado
que não está associada à deterioração das funções cognitiva e psicomotora. Contudo, os pacientes devem
ser advertidos quanto à sua capacidade de dirigir veículos motorizados ou operar máquinas. Gravidez7 e
lactação8: Embora os estudos em animais não tenham demonstrado quaisquer efeitos teratogênico9 ou
embriotóxico seletivo, a segurança na gravidez7 humana ainda não foi estabelecida; pode ser usado, na
opinião do médico, quando os benefícios potenciais justifiquem os possíveis riscos.




Posologia - AROTIN

Recomenda- se que AROTIN (cloridrato de paroxetina) seja administrado em dose única diária,
pela manhã, juntamente com a alimentação. Os comprimidos devem ser deglutidos inteiros, sem mastigar.
Da mesma forma que com muitos medicamentos psicoativos, a descontinuação abrupta deve ser evitada.
Adultos: Depressão: A dose recomendada é de 20 mg ao dia. Transtorno Obsessivo Compulsivo (TOC): A
dose recomendada é de 40 mg ao dia. Doença do Pânico: A dose recomendada é de 40 mg ao dia. Fobia
Social / Transtorno da Ansiedade Social: A dose recomendada é de 20 mg ao dia. Pacientes idosos: Em
pacientes idosos ocorre aumento das concentrações plasmáticas de cloridrato de paroxetina. Crianças: O
uso não é recomendado em crianças porque a segurança e a eficácia do cloridrato de paroxetina ainda não
foram estabelecidas nesta população. Insuficiências renal10 / hepática: Em pacientes com insuficiência renal11
grave (clearance de creatinina12 < 30 mL/min) ou insuficiência hepática13 grave ocorre aumento das
concentrações plasmáticas de cloridrato de paroxetina.

VENDA SOB PRESCRIÇÃO MÉDICA
SÓ PODE SER VENDIDO COM RETENÇÃO DE RECEITA

ESTE TEXTO É UM RESUMO, PARA INFORMAÇÕES DETALHADAS CONSULTE A BULA DO PRODUTO.



AROTIN - Laboratório

Nenhum comentário:

Postar um comentário